Covid-19: Sudão do Sul e Malaui destroem vacinas vencidas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Em tempos nos quais as vacinas contra covid-19 estão sendo produzidas a conta-gotas, uma vez que a demanda é muito maior do que a capacidade de fabricação das empresas, o Sudão do Sul se juntou ao Malaui e irá destruir milhares de vacinas de Oxford-AstraZeneca que venceram.

"Quando as doses chegaram aqui, percebemos que a vida (restante) para a vacina era de apenas 14 dias", disse Richard Lako, gerente de crise da covid-19 do Ministério da Saúde sul-sudanês.

As 60 mil vacinas vencidas foram entregues ao Sudão do Sul através da iniciativa Covax Facility no final de março e faziam parte de um lote de 132 mil.

Segundo autoridades do país, apenas 2 mil pessoas, da área da Saúde, se vacinaram, sendo que a população rejeita a imunização por medo de efeitos colaterais.

No Malaui

O Malaui destruiu 16 mil vacinas de um lote de 102 mil que havia recebido da União Africana.

No total, o país já recebeu 530.000 doses através da iniciativa Covax, tendo vacinado apenas 300 mil pessoas de uma população de 11 milhões.

Notícia Relacionada

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit