Covid-19: Fiocruz não entregará vacinas previstas em março e atrapalha plano de vacinação no Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A Fiocruz, que havia anunciado no dia 28 passado que a chegada de mais uma carga de IFA da China era necessária “para a produção das 15 milhões de doses da vacina - ChAdOx1 - previstas para o mês de março”, diminuiu a estimativa da quantidade de vacinas a serem produzidas e entregues este mês: serão apenas 3,8 milhões de doses.

Como justificativa, a Fundação emitiu um esclarecimento onde escreveu que a liberação “depende do cumprimento de todas as etapas iniciais de produção e requisitos de qualidade de forma a garantir sua eficácia e segurança, bem como do deferimento do registro definitivo pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”.

A mudança no plano de produção da Fiocruz surpreendeu o Ministério da Saúde, que anunciou que, devido a isto, teria que fazer ajustes no cronograma de vacinação para as próximas semanas. O órgão também anunciou que espera receber 2,9 milhões de doses da ChAdOx1 através do programa Covax Facility da OMS e 8 milhões da vacina indiana Covaxin e que teria este mês, então, um total de 29 milhões de doses para serem distribuídas aos estados.

E entre as doses previstas, 21 milhões devem ser produzidas pelo Instituto Butantan, que anunciou há três dias que “entregará em março ao Ministério da Saúde mais 21 milhões de doses da vacina” Coronavac.

Todas as vacinas em uso no Brasil atualmente precisam ser aplicadas em duas doses, sendo então estimada a imunização de 14,5 milhões de pessoas com as 29 milhões de doses.

Notícia Relacionada

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit