Covid-19: Biden toma vacina

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

21 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente eleito dos Estados Unidos (EU), Joe Biden, recebeu uma dose da vacina contra a Covid-19 ao vivo na televisão nesta segunda-feira para convencer os estado-unidenses de que a vacina é segura. “Estou pronto”, disse Biden a uma enfermeira de um hospital em Newark, Delaware, antes de ser injetado com a vacina desenvolvida pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech, chamada BNT162b2.

“Estou fazendo isso para demonstrar que as pessoas devem estar preparadas quando as vacinas estiverem disponíveis. Não há nada com que se preocupar”, disse ele.

Sua esposa, Jill Biden, recebeu uma dose da vacina horas antes no mesmo hospital, que fica perto da casa do casal em Delaware.

Outros líderes dos EUA receberam doses da vacina na semana passada, incluindo o vice-presidente Mike Pence, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que foi hospitalizado devido o coronavírus em outubro, não disse quando pretende se vacinar.

Também hoje a vacina produzida pela Moderna começou a ser enviada para todo país, após a Food and Drug Administration (FDA) dar uma autorização para uso emergencial na sexta-feira passada.

A nova autorização aumenta significativamente os esforços dos EU na vacinação. A prioridade na primeira fase da campanha de vacinação em massa são os profissionais que trabalham na linha de frente no combate à pandemia e os que trabalham em lares de idosos.

Um conselho consultivo federal disse ontem que o próximo grupo a ser imunizador deve ser o das pessoas com mais de 75 anos, bem como aqueles que trabalham em áreas essenciais, como bombeiros, professores e funcionários de mercados de alimentos.

Os EU viram a pandemia crescer nos últimos meses, batendo inclusive o recorde de mortes por dia há duas semanas.

O país também lidera os rankings totais de casos e óbitos por Covid-19, segundo a JHU.

Notícias Relacionadas

Fonte