Corte italiana condena o futebolista brasileiro Robinho a nove anos pela agressão sexual em 2013

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Robinho jogando com o A. C. Milan em agosto de 2012.
Imagem: goatling.

25 de novembro de 2017

Na quinta-feira (23), um tribunal italiano em Milão condenou o futebolista brasileiro Robinho a uma pena de prisão de nove anos por agressão sexual. Robinho não participou da audiência, mas em seu nome, sua advogada não se declarou culpado.

O atacante brasileiro de 33 anos foi acusado de agressão sexual a uma albanesa em uma boate em Milão em janeiro de 2013. Robinho jogou na época pelo o milanês club AC Milan. A vítima, que tinha 22 anos em 2013, receberá uma remuneração de €60 mil euros (cerca de US$ 70 mil dólares) de Robinho.

A advogada de Robinho, Marisa Alija, disse que o futebolista não participou da gangue de estupradores. Falando para a ESPN Brasil, ela disse: "Sobre o assunto envolvendo o atacante Robinho, em um fato ocorrido há alguns anos, esclareço que meu cliente já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio".

Por lei, Robinho pode apelar duas vezes, após a Itália pretender extraditá-lo. No entanto, cidadãos brasileiros não são extraditados em seu país, o que significa que ele não será preso pela agressão, desde que não saia do país.

Em 2009, quando o brasileiro jogou para o clube inglês Manchester City, a polícia de West Yorkshire prendeu Robinho por "grave agressão sexual" em uma boate de Leeds, mas não foi condenado.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati