Coronavírus causa primeira morte fora da China

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Em inglês: sintomas causados pela infecção causada pelo 2019-nCoV

BBC

2 de fevereiro de 2020

Aconteceu nas Filipinas a primeira morte pelo novo coronavírus 2019-nCoV fora da China. A vítima é um homem chinês de Wuhan, epicentro da doença, que, segundo a OMS, havia sido infectado antes de chegar às Filipinas. Na China, ao todo a síndrome respiratória aguda grave causada pelo 2019-nCoV já ocasionou mais de 300 mortes, a maioria em Wuhan, e há cerca de 15 mil infectados. No entanto, o vírus está se espalhando rapidamente para outros locais, não só na Ásia, mas para a Europa e Estados Unidos. Japão e Tailândia, com 14 casos cada, são os países que até agora mais registraram episódios fora da China. No Brasil, atualmente há 16 casos suspeitos.

O que fazer para se proteger?

Lavar as mãos com água e sabão sempre que chegar da rua e antes de se alimentar é essencial. Além disso, também se recomenda que se evite lugares públicos com grande aglomeração de pessoas. “Se não puder evitar, não toque a boca, o nariz ou olhos sem antes ter lavado as mãos ou tê-las limpado com álcool”, falou Fernando Spilki, presidente da Sociedade Brasileira de Virologia, para a BBC.

Segundo a médica Rosana Richtmann, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, também para a BBC, também é importante manter o ambiente limpo, usando soluções desinfetantes. O celular, por exemplo, pode ser limpo com uma solução de metade água e metade álcool.

Fontes

Coronavírus: O que se sabe sobre a primeira morte fora da China, BBC, 02 de fevereiro de 2020.

Coronavírus: por que os humanos estão pegando mais doenças transmitidas por animais?, BBC, 31 de janeiro de 2020.

Coronavírus: o que realmente funciona para se proteger?, BBC, 31 de janeiro de 2020.

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com