Continuam as execuções por adultério no Afeganistão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Localização do Afeganistão

30 de abril de 2005

Semana passada ocorreu no Afeganistão a primeira execução de uma mulher por cometer adultério, desde a queda do regime do Taliban, no final de 2001. A vítima foi uma jovem de 29 anos considerada culpada de adultério e condenada à morte pelos tribunais locais. Aproximadamente 48 horas depois foi levada à força da casa de seus pais, no distrito de Urgu, província de Badakhan, por seu esposo e autoridades locais, antes de ser apedrejada publicamente. No homem acusado de cometer adultério com ela foram dadas 100 chicotadas e depois ele foi deixado livre.

O governo afegão já prometeu que investigará este homicidio considerado ilegítimo e que levará todos os responsáveis perante a justiça. O Afeganistão se acha vinculado ao Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, cujo artigo 7 estabelece: "Ninguém será submetido a torturas nem a penas ou tratos cruéis, desumanos ou degradantes".

Faz exatamente um ano desde que ocorreu a primeira execução registrada durante o regime do Taliban. Naquela ocasião tratava-se de um chefe militar, e se formularam supeitas de que se tratava de uma forma de eliminar uma testemunha chave de um caso sobre abusos por parte de chefes locais.

Fontes