Conselho de Segurança extende mandato da ONU na Guiné-Bissau

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

26 de novembro de 2014

Guiné-Bissau

O Conselho de Segurança prolongou, até ao fins de Fevereiro, o mandato do Escritório Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (Uniogbis).

O representante do secretário-geral na Guiné-Bissau, Miguel Trovoada justificou a extensão pelo período em declarações à Rádio ONU, em Nova Iorque. Antes da sessão que aprovou o documento, o também chefe da Uniogbis avançou que o país conhece um período de grande estabilidade.

“É uma extensão técnica para permitir que se realinhe o mandato às prioridades do governo”, afirmou na altura Trovoada que expressou optimismo em relação a uma mesa redonda com parceiros de desenvolvimento da Guiné-Bissau prevista para Fevereiro em Bruxelas.

“Neste momento há vontade de trabalhar, há um grande dinamismo e as reformas, nomeadamente no sector da defesa e segurança, começaram a ser feitas mas também noutros como da Justiça e da Administração Pública no geral. Portanto, podemos dizer que há um bom clima no geral”, conclui o representante especial do secretário-geral da ONU em Bissau.

Ao intervir na semana passada na ONU, o primeiro-ministro guineense Domingos Simões Pereira pediu a extensão do mandato da Uniobgis e considerou como prioridades do seu executivo a prevenção do ébola, a possível escassez alimentar como efeito das mudanças climáticas e a estabilização.

Domingos Simões Pereira frisou que o desafio permanente é a estabilidade política, tendo pedido aos países que apoiem o reforço das instituições da soberania do país para melhorar a qualidade do diálogo interno.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati