Comissão Europeia diz que recuperação da zona do euro "é lenta e frágil”

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

14 de novembro de 2014

União Europeia

A economia das 18 nações que tem o euro como moeda única, a chamada zona do euro, cresceu 0,2% de julho a setembro, de acordo com dados da Eurostat, a agência de estatísticas da União Europeia (UE). Entre os 28 países-membros do bloco econômico, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) foi 0,3%.

Os números são melhores do que os apresentados no trimestre anterior, quando a zona do euro cresceu 0,1% e a União Europeia, 0,2%. Mas os dados foram avaliados com cautela pela Comissão Europeia. Em entrevista, a porta-voz Mina Andreeva disse que a recuperação está em andamento, mas ainda é “lenta e frágil”. Ela acrescentou que “não há lugar para complacência.

“Para fortalecer a recuperação ainda precisamos de políticas decisivas em três frentes: políticas fiscais favoráveis ao crescimento, reformas estruturais ambiciosas e o uso de todas as ferramentas disponíveis para impulsionar os investimentos na Europa”, explicou Mina Andreeva.

O crescimento da zona do euro está 2% abaixo do nível no início de 2008. O analista inglês Joe Rundle, da ETX Capital, acha que há risco de desaceleração até o fim do ano e que a região pode estar passando por uma década perdida, como o Japão, na década de 80. “A zona do euro tem problemas estruturais reais e uma de suas principais forças, a Alemanha, está enfrentando problemas no momento”, observou.

A Alemanha, que apresentou retração de 0,1% na economia, no segundo semestre, escapou por pouco da recessão. Apesar das sanções impostas à Rússia por causa do conflito com a Ucrânia, que afetaram consideravelmente a economia alemã, o país conseguiu crescimento de 0,1% no terceiro trimestre.

A França cresceu pela primeira vez este ano, 0,3%. Já a Itália, que segue em recessão, regrediu 0,1%, o décimo terceiro trimestre sem nenhum crescimento. Um dos países mais afetados pela crise econômica de 2008, a Grécia manteve tendência de recuperação apresentada já nos dois primeiros trimestres de 2014. Cresceu 0,7% de julho a setembro, em comparação ao trimestre anterior, que já tinha sido positivo (0,3% de crescimento). Analistas gregos comemoram os números e acreditam que é o início de um processo de retomada. “A economia está se estabilizando e isso é o início de um processo de crescimento”, disse Nikos Kafkas, analista da Merit Seguros.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati