Começa o conclave para a escolha do papa

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Segunda-feira

18 de abril de 2005

Uma missa realizada pelo cardeal Joseph Ratzinger foi realizada na Basílica de São Pedro antecedendo o início do Conclave, que teve início por volta das 17h40 (horário de Roma).

A primeira votação já foi realizada às 20h04 (horário de Roma) e não foi conclusiva. Mais duas rodadas de votações acontecem nesta terça-feira.

A cada votação uma fumaça sai de uma chaminé da Capela Sistina, onde estão os cardeais que estão a escolher o futuro papa. Se a cor a fumaça for branca, então é sinal de que os cardeais escolheram um nome para ser o próximo papa, se por outro lado, a cor da fumaça for negra, é sinal de que os cardeais ainda não chegaram a um acordo e que o Conclave continua.

Terça-feira

19 de abril de 2005

Na manhã desta terça-feira já ocorreram duas votações. Todavia em nenhuma delas venceu um nome para ser o próximo papa, e a fumaça que saiu da chaminé da Capela Sistina foi ainda negra.

A fumaça que está a sair da chaminé da Capela Sistina está a confundir algumas pessoas. De vez em quando foi difícil precisar se a cor da fumaça era preta ou branca.

O novo papa

O cardeal Joseph Ratzinger a aplicar incenso durante o funeral do Papa João Paulo II. Foto:Ricardo Stuckert/PR

Por volta das 5h50 (hora local) de terça-feira, uma fumaça branca saiu da chaminé da Capela Sistina. Os sinos tocaram às 18h04. Acabava de ser escolhido o novo papa da Igreja Católica.

O papa número 265 da Igreja Católica é o cardeal alemão Joseph Ratzinger, braço direito de João Paulo II, que será chamado de Papa Bento XVI (Benedictvm XVI). Ele é o oitavo papa alemão. O nome dele foi anunciado por volta das 18h40, da varanda da Basílica de São Pedro. O novo papa surgiu minutos depois, aclamado pelo milhares de pessoas que preenchiam a Praça de São Pedro, o coração do Vaticano.

Com 78 anos, Joseph Ratzinger, foi nomeado, em 1981, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé pelo Papa João Paulo II. Tornou-se Bispo Cardeal da Sé Episcopal de Velletri-Segni em 1993, e eleito Decano do Colégio Cardinalício em 2002, tornando-se bispo titular de Ostia. Considerado o homem mais influente do Vaticano, era um dos mais próximos conselheiros de João paulo II, e era mencionado como o provável sucessor por muitos comentadores. De cunho considerado conservador, Ratzinger adotará possivelmente no seu Pontificado propostas semelhantes ao de seu antecessor João Paulo II.

Em suas primeiras palavras como Papa, Bento XVI lembrou da figura de João Paulo II, e disse ser apenas um "operário na vinha do Senhor", pedindo as orações de todos e contando com a assistência de Nossa Senhora para levar adiante o pontificado.

O resultado do conclave surpreendeu alguns pela rapidez do término, o que indicou unanimidade por parte dos Cardeais. Ratzinger escolheu o nome de Bento, lembrando o antecessor Bento XV, que lutou bravamente pela paz durante a primeira Grande Guerra e, também, de São Bento de Núrsia, considerado como o guardião da cultura e da fé da Europa durante os anos das invasões bárbaras.

Sobre o novo papa o o bispo auxiliar do Rio de janeiro, Dom Edson de Castro Homem disse:

Os cardeais escolheram um homem que conhece profundamente a filosofia e a teologia no sentido amplo da palavra e também no sentido específico da filosofia contemporânea, do período pós-moderno, e toda a influência que o pensamento moderno tem na teologia, sobretudo aquela teologia de dissenção, que procura de alguma forma estar em contato com a problemática do mundo contemporâneo, mas, no entanto, cede sob alguns aspectos que nós chamaríamos da ortodoxia da fé.

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, enviou uma mensagem para o novo papa:

Tenho especial satisfação em cumprimentar Sua Santidade, em nome do Governo e do povo brasileiros, por sua eleição ao Trono de São Pedro. Estou seguro de que Sua Santidade promoverá com empenho a paz e a justiça social, ao mesmo tempo em que reavivará os valores espirituais e morais da Igreja.

Página externa

Fontes