Cirurgia do presidente são-tomense cria onda de especulações

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de outubro de 2020

O presidente de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, está em Portugal há cerca de 20 dias e deve ser submetido nas próximas horas a uma intervenção cirúrgica.

A informação de que a saúde do presidente inspira “cuidados inadiáveis” e que deverá ser submetido a uma cirurgia foi anunciada no fim de semana, 15 dias depois de Evarsto Carvalho ter deixado o país para uma visita privada a Portugal.

Sem mais detalhes, a nota tem suscitado as mais diversas reações e questiona-se mesmo a real gravidade da doença.

O analista Óscar Baía considera que a notícia chegou tardiamente aos são-tomenses. “Na devida hora o Gabinete de Imprensa do Presidente da República deveria informar ao país que a sua visita privada era por razões de saúde”, pois a saúde do Chefe de Estado é de “interesse nacional”.

A nota acrescenta ainda que depois da intervenção cirúrgica, não especificada no comunicado, Evaristo Carvalho, deverá continuar em tratamento médico durante mais cerca de quatro semanas.

Outro analista, Liberato Moniz, defende que a viagem do presidente por motivos de saúde “não pode ser tabu” de forma a evitar “ondas de especulação”. Ele lembra que a viagem e o tratamento, a que Carvalho tem direito, “é pago com dinheiro público”.

O comunicado da presidência afirma que “não há motivos pra preocupação, pois não se trata de uma situação de saúde grave”, sem especificar a doença.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com