Cidade afegã de Mazar-i-Sharif capturada pelo Talibã

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

16 de agosto de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

No sábado, o Talibã afegão capturou a cidade afegã de Mazar-i-Sharif, dando-lhes controle sobre a quarta maior cidade do país e todo o norte do Afeganistão, em meio à retirada das tropas americanas do país, que está prevista para ser concluída até o final de agosto.

Abas Ebrahimzada, um legislador provincial, disse à Associated Press (AP) que o exército nacional afegão foi o primeiro a se render, levando outras forças pró-governo a perder a moral e ceder ao Talibã.

Atta Mohammad Noor, ex-governador da província de Balkh e que a Reuters chamou de "entre os inimigos mais ferozes do Talibã" atribuiu a captura de Mazar-i-Sharif em uma "conspiração", tuitando "apesar de nossa firme resistência, infelizmente, todos os equipamentos do governo e da #ANDSF foram entregues ao #Taliban como resultado de uma grande trama organizada e covarde", e anunciando que ele estava "em um lugar seguro agora".

A captura de Mazar-i-Sharif segue a recente queda de Herat e Kandahar, segunda e terceira maiores cidades do Afeganistão, respectivamente. De acordo com a AP, o Talibã agora controla pelo menos 24 das 34 províncias do Afeganistão. Hoda Ahmadi, um legislador local da província de Logar,alegou que o Talibã havia capturado toda a província de Logar, e também tomou o Distrito de Char Asiab, localizado na província de Cabul e aproximadamente onze quilômetros ao sul da capital afegã Cabul.

Um funcionário dos Estados Unidos disse à ABC News sob condição de anonimato que as forças dos Estados Unidos começaram a voar para Cabul para "ajudar na evacuação de pessoal da embaixada e outros civis", com o presidente dos Estados Unidos Joe Biden autorizando o envio de mil tropas extras para garantir uma "retirada ordenada e segura" dos Estados Unidos e de outras forças aliadas no Afeganistão. Por AP, Mazar-i-Sharif foi um antigo reduto da Aliança do Norte, que já havia ajudado os Estados Unidos em 2001 para acabar com o governo do Talibã no Afeganistão. Os registros da AP "campos improvisados" estão aparecendo fora de Mazar-i-Sharif, consistindo principalmente de hazaras étnicos fugindo de suas casas.

Salima Mazari, uma governadora distrital feminina de uma cidade de 36 mil habitantes perto de Mazar-i-Sharif, disse que "nas províncias controladas pelo Talibã, não existem mais mulheres lá, nem mesmo nas cidades. Todos eles estão presos em suas casas", com uma ativista dos direitos das mulheres de Herat dizendo à AP que Mujeeb Rahman Ansari foi nomeado como o "ministro dos assuntos femininos" do Talibã na cidade. A ativista, que não quis ser identificada, descreveu Ansari como "fortemente contra os direitos das mulheres".


Fontes[editar | editar código-fonte]