Ciclone Tauktae é o mais intenso a atingir a costa oeste da Índia em 30 anos

Fonte: Wikinotícias

17 de maio de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O ciclone hoje, já na costa indiana

O ciclone Tauktae alcançou a costa de Saurashtra, no estado de Gujarat, esta noite, no horário local, classificado como uma tempestade ciclônica muito severa, com ventos de cerca de 160km/h. Horas antes, ele havia sido classificado como um tempestade ciclônica extremamente severa, com ventos sustentados de mais de 180km/h.

O fenômeno está atingido o país desde sexta-feira, causando, além de ventos, chuvas e ondas marítimas de cerca de 3 metros de altura. Ontem havia relatos de ao menos 4 mortos e danos em 73 aldeias no estado de Karnataka, mas hoje pelo menos outras 6 pessoas morreram e 9 ficaram feridas em Maharashtra.

Três marinheiros estão desaparecidos depois que dois barcos afundarem devido ao mar agitado, reporta o The Indian Express.

Ao menos 2 milhões de pessoas foram evacuadas na região costeira de Saurashtra e Kutch, em Gujarat, e 101 equipes da Força Nacional trabalham para ajudar a pessoas atingidas pelo fenômeno.

O Tauktae é o ciclone mais intenso a atingir a costa Oeste da Índia em 30 anos e segundo Departamento Meteorológico (India Meteorological Department), ele deve começar a perder força na terça-feira, passando para uma tempestade ciclônica e de para uma depressão tropical no dia 19.

Entenda

Ciclone tropical é um ciclone que se forma nos trópicos. Ele retira sua energia do ar úmido e quente localizado acima dos mares tropicais e tem seus ventos mais fortes próximos à superfície.

Quando os ventos não superam os 60 km/h, ele é chamado de depressão tropical; quando os ventos giram entre 61 km/h e 116 km/h, tem-se uma tempestade tropical; quando os ventos ultrapassam os 120 km/h, o ciclone tropical passa a ser chamado de furacão ou tufão.

Referência

Notícia Relacionada

Fontes

Nota: devido à diferença no fuso horário entre Brasil e Índia, a notícia do The Indian Express é de uma data posterior à publicada aqui.