China planeja lei anti-separação para Taiwan

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Salão do Povo, em Pequim, na China. Em frente está o Monumento para os Heróis do Povo.

6 de março de 2005

O governo chinês planeja passar uma lei de anti-separação, com o objetivo de impedir Taiwan de permanecer um país separado. Segundo anúncio feito pelo Primeiro Ministro da China Wen Jiabao no Congresso Nacional do Povo, em Pequim, a lei mostra "a forte determinação do povo chinês" e nunca "permitirá que forças de separatistas que trabalham para 'a independência de Taiwan' tenham sucesso em separá-la do continente".

O Conselho de Estado Chinês também planeja aumentar o orçamento militar do país em 12,6 por cento para US$29,98 bilhões, durante o ano fiscal atual.

Tanto a lei de anti-separação, bem como o aumento do orçamento militar estão programados para serem ambos discutidos durante as reuniões parlamentárias que começam hoje, e estão agendadas para continuar pelos 12 próximos dias. Mais de 3 mil delegados são esperados no Grande Salão do Povo para ouvir o discurso de duas hora de Wen e começar as discussões.

Os políticos de Taiwan reagiram com desgosto à planejada lei de anti-separação, e prometeram protestos nas ruas de Taipei e Kaohsiung, neste domingo. O Presidente de Taiwan Chen Shui-bian até ameaçou com a introdução de uma lei "de anti-anexação" para opor-se ao movimento da China.

Fontes