Chefe do Pentágono: forneceremos à Ucrânia tudo o que ela precisa hoje

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

14 de junho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O chefe do Pentágono, Lloyd Austin, que está em visita à Tailândia, deu uma entrevista coletiva em Bangkok. A primeira pergunta ao chefe do departamento militar foi sobre a Ucrânia: “Parece que a Ucrânia está cada vez mais inferior em armamento e no número de tropas no Donbass. Ainda é o objetivo dos EUA ajudar a Ucrânia a vencer militarmente e enfraquecer a capacidade militar da Rússia?”

Austin respondeu que “os Estados Unidos estão prontos para dar à Ucrânia tudo para ajudar a Ucrânia a ter sucesso, lembrando que também precisamos pensar em nossa própria prontidão de combate. E temos parceiros em todo o mundo que também estão prontos para ajudar a Ucrânia.”

Respondendo à pergunta de que a Ucrânia solicitou mais 1.000 obuses e 300 sistemas de foguetes de lançamento múltiplo (MLRS) da OTAN e o que os Estados Unidos estão atualmente prontos para fornecer a Kyiv, o chefe do Pentágono observou que “os Estados Unidos já forneceram um significativo número de obuses e grandes volumes de munição de 155 mm, entre muitas outras coisas. Mas outros países também enviaram obuses de 155 mm.”

Lloyd Austin também prometeu que trabalharia para garantir que a Ucrânia recebesse o máximo de assistência possível e o mais rápido possível.

Outra pergunta dos jornalistas dizia respeito às recentes declarações do presidente francês Macron de que Putin não deveria ser humilhado - em nome da diplomacia. Austin respondeu que não gostaria de comentar as observações de Macron.

Austin afirmou que o mundo é inspirado pela perseverança e vontade do povo ucraniano de resistir.

Além disso, disse ele, os militares ucranianos estão resistindo com tanto sucesso, “em parte por causa do treinamento que os Estados Unidos e o Canadá vêm fornecendo desde 2014, além da assistência de defesa fornecida em um estágio inicial. Quanto ao futuro da Ucrânia, será determinado pelo presidente Zelensky e pelo povo ucraniano, não pelos Estados Unidos”.

Na terça-feira, o chefe do Pentágono viaja a Bruxelas para realizar a terceira reunião do Grupo Consultivo de Defesa da Ucrânia, formado por representantes de 40 países.

Austin disse que os parceiros ocidentais querem garantir que eles forneçam à Ucrânia o que ela precisa no momento.

A reunião contará com a presença do ministro da Defesa, Alexei Reznikov, a quem Austin chamou de “bom amigo.”

Além disso, o chefe do Pentágono participará de uma reunião de ministros da Defesa da OTAN, que será realizada em Bruxelas.

Fontes