Charles, futuro grão-duque de Luxemburgo, foi batizado no sábado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de setembro de 2020

O pequeno Charles, de quatro meses e meio, único filho do príncipe herdeiro Guillaume de Luxemburgo e sua esposa, a princesa Stéphanie, ele próprio futuro herdeiro do trono, foi batizado no sábado passado, 19 de setembro. A cerimônia, a qual apenas familiares assistiram devido a proibição de aglomerações por causa da pandemia de Covid-19, aconteceu na Abadia de Saint-Maurice de Clervaux.

Seu tio paterno príncipe Louis foi seu padrinho e sua tia materna Condessa Gaëlle de Lannoy foi sua madrinha.

Os possíveis problemas de fertilidade do casal

Charles nasceu no dia 10 de maio passado, após seus pais estarem casados há 7 anos de meio. Durante este período, o casal enfrentou críticas por não ter um filho, já que a linha de sucessão dependia disto - apesar de sua prima princesa Amália de Luxemburgo poder ascender ao trono no futuro - e foi motivo de rumores frequentes sobre problemas de fertilidade.

Em meados de 2019 o casal se mudou para Londres, para, segundo um anúncio oficial, terminar sua preparação para assumir o trono no futuro - ele faria um treinamento na Real Academia Militar de Sandhurst e ela estudaria Artes - tendo a gravidez sido anunciada cerca de 4 meses após esta mudança, o que levantou suspeitas de que o verdadeiro motivo da ida do casal para a Inglaterra havia sido para fazer um tratamento médico para que o casal gerasse um herdeiro.

A Corte Grão-Ducal, como é de praxe, não comentou os rumores, mas o certo é que o casal não voltou para Londres nos últimos meses.

Aglomeração em meio à Covid

Se o batizado ocorreu com medidas de prevenção - uso de máscaras e distanciamento social (assista ao víeo aqui) - sendo seguidas, o mesmo não aconteceu uma semana antes, quando o casal participou do casamento de uma prima de Guillaume, Gabriella, evento ao qual também levou o bebê.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com