Catedral mexicana permanece fechada depois de invasão de esquerdistas no domingo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de novembro de 2007

A Catedral Metropolitana da Cidade do México foi invadida no domingo (18) por manifestantes esquerdistas que apóiam o candidato derrotado na última eleição presidencial Andrés Manuel López Obrador.

Mais de 100 manifestantes segundo a imprensa local entraram aos gritos dentro da igreja, intimidaram os fiéis e viraram os bancos. Muitos dos que estavam dentro da igreja para assistir à missa fugiram assustados, enquanto os padres procuraram refúgio na sacristia. Algumas pessoas se machucaram, mas sem gravidade.

O clero resolveu fechar a catedral até que as autoridades possam garantir a segurança dos freqüentadores.

De acordo com o que foi noticiado em alguns jornais, os manifestantes teriam se ofendido com os toques do sino da igreja que segundo eles "estariam sendo longos" e prejudicando um protesto numa praça próxima da catedral.

Obrador é militante do Partido de la Revolución Democrática (PRD) e foi candidato à presidência na última eleição. Ele não reconheceu a vitória do seu opositor Felipe Calderón e depois disso montou o que denominou de "governo paralelo".

Obrador disse durante a noite de domingo que ele e seu partido são respeitosos em relação à "liberdade religiosa". Um comunicado do chamado secretário de relações políticas do governo paralelo de Obrador disse que "desaprovava por completo a reação do pequeno grupo de manifestantes, cuja identidade política precisaria ser confirmada".

Referências

Fontes