Caso Lucas Terra: pastores da Igreja Universal vão a júri popular por assassinato, diz STF

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de setembro de 2019

Brasil


Na Wikipédia há um artigo sobre Caso Lucas Terra.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu em 17 de setembro de 2019 mandar os pastores Joel Miranda e Fernando Aparecido da Silva da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) a júri popular. Eles são acusados do assassinato do adolescente Lucas Terra, em 2001.

A decisão esgotou todas as medidas judiciais do processo. Votaram a favor do recurso do Ministério Público Federal (MPF) os ministros Gilmar Mendes, Edson Fachin, Cármen Lúcia e Celso de Mello. Ricardo Lewandowski foi o único que votou contra. O promotor Davi Gallo declarou à TV Bahia que agora a decisão do STF irá para o 2º juízo da 2ª Vara do Tribunal do Júri.


Cquote1.png

"O entendimento do Ministério Público prevaleceu em todos os juízos. Depende só da juíza Andrea Sarmento marcar o júri. Vou entrar em contato com ela amanhã"

Cquote2.svg
'




Segundo Marion Terra, seu marido e pai de Lucas Terra, Carlos Terra morreu em fevereiro de 2019 devido ao caso. Segundo Marion Terra, a cirrose hepática dele se agravou após a decisão do STF impedir no final de 2018 que os pastores fossem a júri popular.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati