Caso Lucas Terra: pastores da Igreja Universal vão a júri popular por assassinato, diz STF

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de setembro de 2019

Brasil


Na Wikipédia há um artigo sobre Caso Lucas Terra.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu em 17 de setembro de 2019 mandar os pastores Joel Miranda e Fernando Aparecido da Silva da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) a júri popular. Eles são acusados do assassinato do adolescente Lucas Terra, em 2001.

A decisão esgotou todas as medidas judiciais do processo. Votaram a favor do recurso do Ministério Público Federal (MPF) os ministros Gilmar Mendes, Edson Fachin, Cármen Lúcia e Celso de Mello. Ricardo Lewandowski foi o único que votou contra. O promotor Davi Gallo declarou à TV Bahia que agora a decisão do STF irá para o 2º juízo da 2ª Vara do Tribunal do Júri.


Cquote1.png

"O entendimento do Ministério Público prevaleceu em todos os juízos. Depende só da juíza Andrea Sarmento marcar o júri. Vou entrar em contato com ela amanhã"

Cquote2.svg
'




Segundo Marion Terra, seu marido e pai de Lucas Terra, Carlos Terra morreu em fevereiro de 2019 devido ao caso. Segundo Marion Terra, a cirrose hepática dele se agravou após a decisão do STF impedir no final de 2018 que os pastores fossem a júri popular.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati