CPI do Mensalão irá ouvir Horta e Mexia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O deputado Roberto Jefferson depõe nesta quinta-feira para a CPI de Compra de Votos, no Brasil. Foto: Roosewelt Pinheiro/ABr.

4 de agosto de 2005

Brasil

Depois de horas de discussão, a Comissão Brasileira Parlamentar Mista de Inquérito que investiga o mensalão aprovou requerimento que solicita que sejam ouvidos o ex-Ministro Antonio Mexia e o Presidente da Portugal Telecom Miguel Antônio Igrejas Horta Costa. Uma comissão de parlamentares pode ir à Portugal para investigar.

A informação foi divulgada pelo deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB), durante sessão da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que ouve o deputado brasileiro Roberto Jefferson (PTB) nesta quinta-feira (4).

Pairam dúvidas entre os parlamentares brasileiros sobre a natureza do encontro entre Marcos Valério e o ex-Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações de Portugal, Antonio Mexia. Os deputados e senadores também querem saber mais sobre as supostas negociações entre Valério e a Portugal Telecom.

Quando foi perguntado sobre o qual o resultado positivo do requerimento aprovado, o deputado Roberto Jefferson disse: Vai mostrar [o requerimento] a relação intestinal, profunda, do senhor Marcos Valério, com pessoas do governo [brasileiro]. Vai provar claramente que havia uma relação profunda intestinal do senhor Marcos Valério com pessoas em primeiro escalão do governo federal.

Jefferson, contudo, não responsabilizou o Presidente Luiz Inácio Lula Silva pelas supostas irregularidades denunciadas por ele e investigadas pela polícia e Parlamento. Na opinião do deputado, o governo brasileiro funcionava como uma espécie de Parlamentarismo, onde José Dirceu era o primeiro-ministro e Lula, como presidente num regime parlamentarista, atuava como "relações públicas", a realizar contatos com governos estrangeiros e na divulgação da imagem do Brasil no exterior.

Reportagem original
Esta notícia contém reportagem original de um Wikicolaborador. Veja a página de discussão para mais detalhes.

Ver também

Fontes