COVID-19: Treze jovens morrem asfixiados numa festa clandestina no Peru

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bandeira do Peru
Outras notícias sobre o Peru
Localização do Peru
Localização do Peru

23 de agosto de 2020

Pelo menos 13 pessoas morreram asfixiadas durante uma operação policial numa discoteca da capital do Peru, onde decorria uma festa de aniversário, apesar da proibição imposta para conter a propagação do novo coronavirus.

A América Latina foi duramente atingida pela pandemia e, neste mês, o Peru voltou a impor restrições mais rígidas.

A festa ilegal de aniversário, no sábado, 22, foi organizada nas redes sociais e atraiu uma multidão de cerca de 120 pessoas no Thomas Restobar, disse o ministério do Interior, que confirmou as 13 mortes, 11 homens e duas mulheres.

“Diante da operação policial, que não utilizou nenhum tipo de arma ou gás lacrimogéneo, os participantes da festa tentaram escapar pela única saída, atropelando-se e ficando presas nas escadas”, disse o ministério.

No entanto, alguns que estavam na festa e outros que moram perto da discoteca, no distrito de Los Olivos, em Lima, contestaram a versão do ministério sobre os eventos.

“Parece que a polícia entrou e lançou gás lacrimogéneo”, disse um morador local à rádio RPP.

O ministério do Interior disse que 23 pessoas foram detidas e que as autoridades procuram identificar os organizadores e os proprietários da discoteca.

O Peru, com uma população de 33 milhões, registou mais de meio milhão de casos de coronavírus e mais de 27 mil mortes.

Este mês, o país voltou a impor o toque de recolher aos domingos em resposta ao aumento do número de infecções.

Um toque de recolher noturno está em vigor desde 16 de março, enquanto as fronteiras estão fechadas e as aulas foram suspensas pelo resto do ano.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com