COVID-19: África já tem mais de 2 mil casos fatais

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de maio de 2020


Foto meramente ilustrativa

Apesar da pandemia se alastrar mais vagarosamente no Continente Africano do que na Europa e América Latina, a região já tem hoje 2.006 mortos por Covid-19, enquanto o número total de infectados chega a 51.549. Os dados são da John Hopkins University e foram reportados pelo Africanews.

Os três países mais afetados no continente, por número de contaminações, são a África do Sul, com 7.808 casos, o Egito, com 7.588, e o Marrocos, com 5.408.

Enquanto os casos crescem, aumenta também a preocupação com as graves conseqüências que a pandemia de COVID-19 pode ter no continente mais pobre do globo. A ONG Médicos Sem Fronteiras ainda fez um alerta dias atrás, citando que países como o Sudão, Sudão do Sul, Somália e Etiópia, na África Oriental, já sofrem com diversos problemas, como conflitos comunitários, migrações e desastres naturais, como a seca e a invasão de uma praga de gafanhotos. “Muitos deles não têm nem água para lavar as mãos”, disse Abubakr Bakri, colaborador da ONG. "Na região falta tudo", afirmou, "desde medicamentos a EPI e leitos de UTI".

Planta "miraculosa" de Madagascar não está aprovada como tratamento

Apesar do próprio presidente de Madagascar afirmar que uma poção preparada com a planta Artemisia annua combate COVID-19, a União Africana emitiu um comunicado no dia 04 de maio anunciando que estava pedindo mais dados ao governo do país e que o Centro para Controle e Prevenção de Doenças da África (CDC da África) "revisaria os dados científicos coletados sobre a segurança e eficácia do tônico com base em normas técnicas".

Países como Guiné-Bissau, Guiné Equatorial e Libéria já compraram o produto.

Notícias Relacionadas

Fontes