Brasil vence Argentina por 3 a 0 com Neymar contra Messi

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pictograma representando o futebol
Outras notícias sobre futebol


Agência Brasil

11 de novembro de 2016

Com Messi e Neymar em campo, os torcedores presentes no Mineirão na noite de ontem (quinta-feira, 10) já esperavam um espetáculo. Os dois astros, que são colegas no Barcelona, justificaram as expectativas e foram responsáveis por jogadas que arrancaram aplausos do estádio. Mas a estrela que mais brilhou na noite foi a do brasileiro. Com um placar construído no primeiro tempo e ampliado no segundo, o Brasil venceu a Argentina por 3 a 0, com gols de Phillipe Coutinho, Neymar e Paulinho. A partida era válida pelas eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia.

O gol de Neymar foi o 50º pela seleção. Foi também a primeira vez que ele superou Messi em um confronto entre ambos e o brasileiro marcou seu primeiro gol tendo o argentino como adversário. Até então os dois haviam se enfrentado em quatro ocasiões: três amistosos entre Brasil e Argentina e a final do Mundial de Clubes de 2011, quando Neymar ainda defendia o Santos e viu sua equipe perder para o Barcelona por 4 a 0. No total dos confrontos, Messi havia conquistado três vitórias, um empate e marcado seis gols.

O público de 53.490 pessoas colaborou com a festa. Um mosaico preparado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) surgiu como novidade em jogos da seleção. Tanto a torcida brasileira quanto a argentina, em menor número, entoaram músicas fazendo comparações entre Pelé e Maradona. No final só um lado saiu cantando, com a frase "o campeão voltou". O jogo também serviu para o Brasil virar a página no retorno ao Mineirão, após a goleada por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014.

O jogo[editar]

O confronto começou tenso. Aos 10 minutos, o árbitro havia marcado oito faltas. O volante Fernandinho, que aos dois minutos foi obrigado a parar Messi após tomar um chapéu, levou cartão amarelo ao cometer uma segunda infração quatro minutos depois. O duelo dos companheiros de Barcelona acabou enriquecendo o espetáculo. Neymar logo responderia o astro argentino também com um chapéu no meio de campo, que teve o volante Biglia como vítima.

A melhor jogada da Argentina no primeiro tempo veio justamente num chute de Biglia, que recebeu de Messi e arriscou de fora da área aos 23 minutos. O goleiro Alison se esticou e fez belíssima defesa. No minuto seguinte, mais ou menos da mesma distância, Philippe Coutinho ajeitou e colocou a bola no ângulo sem chances para o goleiro argentino.

Os argentinos reclamaram muito de um pênalti em falta cobrada por Messi aos 36 minutos, alegando que Neymar desviou a bola com o braço. O brasileiro não se preocupou muito e em grande jogada no minuto seguinte, driblou dois defensores e chutou na trave. O gol apenas havia sido adiado. Aos 45 minutos, o camisa 10 do Brasil recebeu em profundidade de Gabriel Jesus e só teve o trabalho de tocar para o gol na saída do goleiro Romero.

Perdendo de 2 a 0, a Argentina voltou para o segundo tempo precisando atacar. E o técnico Bauza tirou o volante Enzo Pérez e colocou o atacante Kun Agüero, mas foi o Brasil que começou assustando, em chute para fora de Gabriel Jesus logo aos 2 minutos. O jogo continuou com muitas faltas e Marcelo tomou cartão amarelo, se tornando desfalque do Brasil para a partida contra o Peru.

A partida ficou aberta com boas chances para os dois lados. E aos 13 minutos, Paulinho, que já havia perdido uma ótimo oportunidade, se redimiu e apareceu no meio da área para aproveitar cruzamento de Renato Augusto e marcar o terceiro gol brasileiro.

A Argentina continuava se lançando ao ataque e tinha mais posse de bola, mas as melhores chances ocorriam quando o Brasil achava espaços para criar seus contra-ataques. Aos 23 minutos Neymar chegou na cara do gol e foi travado na hora do chute por Zabaleta. Aos 36, Gabriel Jesus errou o drible no goleiro Romero e perdeu outra boa chance.

Perdida em campo e vendo os brasileiros inspirados, a seleção argentina apelou para várias faltas no meio de campo. Otamendi e Biglia acabaram levando cartão amarelo. Bauza ainda tentou mais uma mudança. Colocou o Ángel Correa no lugar de Di María, mas não surtiu efeito. O Brasil também fez suas substituições: Firmino, Douglas Costa e Thiago Silva entraram, enquanto Gabriel Jesus, Phillipe Coutinho e Miranda saíram.

Classificação[editar]

Com a derrota, a Argentina chega à quarta partida consecutiva sem vitória nas eliminatórias da América do Sul e termina a rodada na sexta posição. Apenas os quatro primeiros asseguram sua classificação para a Copa do Mundo de 2018. O quinto colocado precisará superar uma seleção da Oceania, em partida de repescagem.

Já o Brasil segue na liderança, agora com 24 pontos. O técnico Tite mantém seu aproveitamento de 100%. Desde que ele assumiu a seleção, são cinco jogos e cinco vitórias.

O Brasil jogou com Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda (Thiago Silva) e Marcelo; Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto e Phillipe Coutinho (Douglas Costa); Neymar e Gabriel Jesus (Roberto Firmino). Já a Argentina do técnico Eduardo Bauza teve Sergio Romero; Pablo Zabaleta, Nicolás Otamendi, Ramiro Funes Mori e Emanuel Mas; Javier Mascherano, Enzo Perez (Kün Aguero), Lucas Biglia e Angel Di María (Ángel Correa); Messi e Gonzalo Higuaín.

Notícia Relacionada[editar]

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati