Brasil condena execuções na Líbia feitas pelo Estado Islâmico

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

20 de abril de 2015

Brasília — O Governo brasileiro condenou a execução, pelo grupo radical Estado Islâmico, de homens identificados como cristãos etíopes que foram capturados na Líbia. "O atroz assassinato de cristãos etíopes na Líbia, tornado público ontem [19], e o atentado terrorista no último sábado [18] em Jalalabad, no Afeganistão, que resultou em dezenas de mortos e feridos, denotam absoluta falta de respeito aos direitos humanos mais básicos e são afrontas diante das quais a comunidade internacional não pode se calar", diz nota divulgada nesta segunda-feira (20) pelo Itamaraty.

No documento, o governo brasileiro "reitera sua repulsa à intolerância religiosa e ao terrorismo, qualquer que seja sua origem ou justificativa".

Ontem (19), um vídeo de 29 minutos divulgado em sites jihadista mostra um grupo de pelo menos 12 homens sendo degolados em uma praia e outro grupo, de 16 homens, mortos a tiros em área deserta. Em fevereiro, o grupo jihadista tinha divulgado outro vídeo mostrando a decapitação de 21 homens, a maioria egípcios coptas, em uma praia, numa encenação parecida com a das imagens divulgadas nesse domingo.

Um homem vestido de negro aparece falando em inglês sobre a batalha entre "a fé e a blasfêmia", e os condenados são apresentados como membros "da igreja etíope inimiga". O Estado Islâmico assumiu o controle de parte dos territórios da Síria e do Iraque, onde proclamou um califado e onde tem multiplicado os abusos, utilizando os vídeos como armas de propaganda.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati