Boko Haram toma o controle de Chibok, cidade onde sequestrou as 276 estudantes e alarga Califado na Nigéria

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

14 de novembro de 2014

Nigéria

O grupo militante radical islâmico Boko Haram tomou o controle da cidade de Chibok, cidade localizada no estado de Borno, no nordeste da Nigéria. Entre abril e maio último, o grupo terrorista ganhou fama internacional ao sequestrar 276 estudantes adolescentes, todas garotas e menores de idade, na mesma cidade e arredores.

Pogo Bitrus, do grupo de cidadãos de Chibok, disse à VOA que os militantes atacaram Chibok ao fim do dia de ontem e que os soldados e combatentes civis no local deram luta mas que vencidos pela força militante.

Sambido Hosea Bana, líder local da cidade, também diz que a cidade está nas mãos dos rebeldes islâmicos. Após atacar a cidade, os terroristas "entraram no município e a maioria dos vizinhos fugiram para salvar sus vidas", confirmou Hosea Bana, que acredita que os milicianos atacaram Chibok após perder Mubi, de onde foram expulsos por vizinhos e caçadores.

Além disso, o pastor Enoch Mark, confirmou a informação: "Chibok foi tomada por Boko Haram. Agora são eles que têm o controle". De acordo com pastor Mark e o senador de Bono do Sul, Ali Ndume, os radicais islamitas atacaram a cidade, destruindo a torre de comunicações e obrigando aos cidadãos a fugir. "Alguns de nós conseguiram fugir, todas as torres de comunicações foram destruídas durante o ataque com foguetes", concluiu Mark.

Histórico

As mais de 200 jovens estudantes de Chibok foram raptadas em 14 de Abril por Boko Haram e nas semanas seguintes, totalizando 276 alunas, gerando grande controvérsia internacional, pois o caso foi motivo de vários apelos e manifestações internas e externas, pois o líder do grupo, Abubakar Shekau anunciou em vídeos publicados na internet, que venderia elas como escravas sexuais aos líderes islâmicos e também casarem à força com os sequestradores.

Do número original de 276 jovens raptadas, mais de 70 conseguiram fugir aos seus raptores islâmicos no decorrer dos meses. Em poder do Boko Haram continuam cerca de 200 destas jovens, que foram forçadas a se converter ao islã sob pena de morte e casar com seus captores, sob alegação que estão fazendo por interpretação no Alcorão, livro sagrado para os islâmicos.

O governo nigeriano não tem sido capaz de libertar as estudantes, apesar da ajuda que tem recebido dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e outros aliados. Ao mesmo tempo, no decorrer do ano, Boko Haram apoderou-se de várias cidades nos estados de Borno e Adamawa.

O grupo terrorista pretendem proclamar Califado na Nigéria com Abubakar Shekau como seu líder, em moldes como foi feito com Estado Islâmico em 29 de junho último, feito pelo Abu Bakr al-Baghdadi, tornado-se Califa em quase 100 anos e também separando do Iraque e Síria, ato não reconhecido internacionalmente, por conta das denúncias de violações de direitos humanos e crimes de guerra, que enfrenta ataques aéreos e terrestres desde setembro.

Para instaurar Califado islâmico africano, o grupo já atacou e conquistou várias localidades da região, o que vem conseguindo nas últimas semanas. No entanto, esta semana perderam Maiha, logo depois que foram atacados por caçadores locais. Analistas de segurança estimam que Boko Haram controla ao redor de 221.000 quilômetros do nordeste da Nigéria.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati