Biden aprova ajuda militar de 350 milhões de dólares americanos para a Ucrânia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

26 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Agência VOA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, autorizou neste sábado uma ajuda adicional de até 350 milhões de dólares em armas para a Ucrânia, que luta contra uma invasão russa desde 24 de fevereiro.

Biden enviou um memorando ao secretário de Estado Antony Blinken para direcionar a alocação de ajuda das reservas dos EUA. pela Lei de Assistência Estrangeira.

Blinken divulgou em um comunicado e no Twitter que havia instruído o Departamento de Defesa a canalizar as armas para a Ucrânia. “Hoje autorizei o Departamento de Defesa a fornecer US$ 350 milhões adicionais em assistência militar imediata à Ucrânia para ajudar na defesa contra a guerra não provocada e injustificada da Rússia”, disse o tweet.

O Pentágono informou que a assistência inclui armas antiblindagem, armas pequenas e munições variadas, em apoio aos defensores da linha de frente na Ucrânia.

É a terceira vez que os Estados Unidos fornecem armas de suas reservas para a Ucrânia. Os anteriores foram no outono de 2021 e em dezembro. Blinken disse que esta terceira autorização é “sem precedentes.”

A Ucrânia havia solicitado armas antitanque Javelin e mísseis Stinger para derrubar aviões.

Outras nações prometeram equipamentos militares a Kiev. A Holanda anunciou neste sábado que enviará 200 foguetes Stinger o mais rápido possível e a Bélgica prometeu contribuir com 2.000 metralhadoras e 3.800 toneladas de combustível.

A França também disse que forneceria material de defesa militar, mas ainda está estudando se deve incluir armas ofensivas, disse um porta-voz do Exército no sábado.

Fonte