Audi cancela contrato de publicidade com partido de oposição russo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de junho de 2020

Em 24 de junho, a montadora alemã Audi cancelou sem aviso prévio um contrato de publicidade com a líder da oposição russa e ex-candidata presidencial Ksenia Sobchak por suas declarações racistas no Instagram. "A empresa rejeita qualquer forma de racismo e discriminação", disse. Sobchak trabalhou com a Audi por oito anos e foi o rosto oficial desta marca na Rússia.

O cancelamento foi causado por um escândalo que começou após 7 de junho, quando Sobchak postou um vídeo em sua conta do Instagram com a legenda "Minneapolis, estou com você". No mesmo dia, ela excluiu o vídeo. Antes, ela já havia postado na mesma rede mensagens críticas sobre o movimento Black Lives Matter, entre outras coisas, perguntando por que os protestos "terminam com saques na loja Louis Vuitton, no centro de Los Angeles".

Sobchak disse que processaria a edição alemã do Business Insider, cujo artigo, intitulado "Outro escândalo da Volkswagen após um anúncio racista: a embaixadora russa da marca Audi chamou os negros de idiotas e preguiçosos", iniciou esse escândalo. O jornal cita declarações feitas pela política nas mídias sociais, onde ela escreveu, entre outras coisas:

“Aqueles que entenderam que para o sucesso é necessário trabalhar duro, há muito se tornaram, digamos, Naomi Campbell, Obama e Oprah Winfrey. Os outros sempre encontrarão justificativa para si mesmos e sua preguiça e estupidez”.

Ksenia Sobchak é membra da oposição mais famosos da Rússia. Ela é filha do outrora famoso político liberal Anatoli Sobchak, que em 1991–1996 foi prefeito de São Petersburgo e em cuja equipe Vladimir Putin iniciou sua carreira política. Ela critica ativamente o atual regime russo e, em 2018, concorreu nas eleições presidenciais na Rússia, conquistando 1,66% dos votos. Ela também é ativa como jornalista e empreendedora, famosa por sua vida luxuosa.

Este não é o primeiro escândalo causado por comentários racistas e xenófobos de oposicionistas russos. Em 2016, o jornalista Ajder Muĵdabajev chamou o mais famoso escritor russo Alexei Navalny de racista e nacionalista. Em suas entrevistas, Navalny disse, entre outras coisas, que ele se opõe fortemente à adoção de filhos por casais gays defendeu a limitação de financiamento das regiões caucasianas e restringir a imigração às repúblicas da Ásia Central, introduzindo um regime de vistos para elas. Em seu site, ele acusa a Europa de tolerância excessiva aos imigrantes, especialmente muçulmanos, e exige se opor à imigração e ao islamismo, para impedir a construção de mesquitas.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com