Ativos apreendidos de vice-presidente da Guiné Equatorial para pagar vacinas e remédios

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de setembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Departamento de Justiça dos EUA afirma que usará dinheiro de ativos confiscados do vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Nguema Obiang Mangue, que o DOJ alega que Obiang obteve por meio de corrupção.

Desse montante, US$ 19,25 milhões irão para as Nações Unidas para comprar vacinas contra COVID-19 e US$ 6,35 milhões irão pagar por remédios e suprimentos médicos para a Guiné Equatorial.

Em um comunicado à imprensa, o DOJ disse que Obiang usou sua posição como ministro da Agricultura e Florestas em 2011 "para acumular mais de US$ 300 milhões em ativos por meio de corrupção e lavagem de dinheiro, em violação às leis dos EUA e do Equador".

De acordo com um acordo de 2014, Obiang foi obrigado a vender uma mansão de $ 30 milhões em Malibu, Califórnia, um automóvel Ferrari e "vários itens de memorabília de Michael Jackson", disse o DOJ.

“Conforme previsto no acordo, $ 10,3 milhões desses fundos seriam confiscados para os Estados Unidos, e os fundos restantes seriam distribuídos a uma instituição de caridade ou outra organização para o benefício do povo da Guiné Equatorial”, noticia o DOJ.

Obiang também foi condenado na França por comprar propriedades de luxo com fundos ilegais. Ele recebeu uma pena suspensa de três anos e uma multa de US$ 35 milhões.

A Guiné Equatorial é rica em petróleo, mas a maioria de seus 1,4 milhão de cidadãos vive na pobreza.

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit