Ativista dos direitos humanos é pressionado a deixar Cuba

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de janeiro de 2006

O advogado ativista por direitos humanos Juan Carlos Gonzalez Leiva, 37 anos, que cumpre prisão domiciliar em Cuba, alega que está sendo pressionado a deixar o país.

Gonzales Leiva é cego e cumpre há cerca de dois anos a sua pena de prisão domiciliar, a qual estará finda no próximo dia 12 de março.

O advogado disse que cortaram a eletricidade e a água, e que uma multidão costuma se reunir várias vezes ao dia em frente da sua casa para cantar palavras de ordem pró-governo e tocar músicas com volume muito alto.

Juan Carlos Gozales disse que acredita que isto é uma forma de pressioná-lo a deixar o país. A esposa de Gonzales já abandonou Cuba e vive agora nos Estados Unidos.

Fontes