Atentados terroristas deixam mortos e feridos na Áustria

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

2 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Uma série de atentados terroristas em Viena, capital da Áustria, deixou ao menos duas pessoa mortas (um deles é um dos suspeitos) e diversas outras feridas. Quinze (15) pessoas estão hospitalizadas, sete delas em estado grave, segundo o jornal Wiener Zeitung na atualização de uma reportagem feita às 01h30min da madrugada de 03 de novembro.

Eram por volta das 20 horas locais quando seis incidentes com tiros aconteceram, o primeiro deles em Morzinplatz, nas imediações de uma sinagoga. Os outros cinco aconteceram logo em seguida, todos nas proximidades do primeiro.

Assim que avisada, a polícia pediu que todos ficassem em casa e fechou as estações de metrô de Schwedenplatz, Schottenring e Karlsplatz. O anúncio para que as pessoas não saíssem às ruas e tomassem cuidado, evitando lugares públicos como praças, continuava vigente pouco antes das 24 horas.

Várias informações ainda continuam desencontradas, como a quantidade de atiradores e o número exato de mortos e feridos.

O governo local anunciou em seu Twitter, também de madrugada, que amanhã não haveria aulas e que as pessoas deveriam ficar em segurança. Horas antes, o prefeito Michael Ludwig havia usado a mesma rede social para dizer que "todos estavam profundamente chocados".

O assunto foi um dos mais comentados no Twitter no final desta tarde no Brasil.

Os ataques aconteceram duas semanas após um professor francês de História ter sido decapitado por um extremista islâmico checheno depois de ter mostrado durante uma aula as charges do profeta Maomé divulgadas pelo jornal Charlie Hebdo, que posteriormente foi atacado por extremistas.

Dias atrás, três pessoas, incluindo uma brasileira, foram mortas à facadas na Basílica Notre-Dame de Nice, também na França, ainda como possível retaliação ao fato do professor ter mostrados as charges.

Autoridades de todo mundo têm condenado os ataques, dizendo que não há justificativas para uma escalada no terrorismo. Pedro Sánchez, primeiro-ministro da Espanha, postou em seu Twitter logo após o ataque em Viena esta noite que este era "um novo ataque sem sentido. O ódio não dobrará nossas sociedades. A Europa permanecerá firme ante o terrorismo".

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com