Anistia Internacional acusa Israel de ter praticado crimes de guerra no Líbano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de agosto de 2006

A organização de direitos humanos Anistia Internacional acusou Israel de cometer crimes de guerra por ter deliberadamente atacado a infraestrutura civil no Líbano durante o conflito contra o grupo terrorista Hizbollah. A organização chamou o ataque israelense de "indiscriminado e desproporcional". Israel rejeitou a acusação.

"O padrão, alcance e a escala dos ataques tornam a declaração de Israel de que isto foi um 'efeito colateral', simplesmente não crível," disse Kate Gilmore, da Anistia Internacional.

A Anistia Internacional citou a magnitude da destruição causada pelos ataques aéreos israelenses e bombardeios da artilharia, e algumas declarações como aquelas feitas pelo comandante israelense General Dan Halutz de que "nada estava seguro" no Líbano como evidências de que civis foram deliberadamente atacados.

Israel rejeitou a acusação e afirmou que os bombardeios de áreas civis foram justificados porque o Hizbollah usa civis como "escudos humanos". Segundo o porta-voz israelense Mark Regev a infraestrutura libanesa foi visada somente quando ela foi usada pelo Hizbollah e acrescentou que ao contário do grupo terrorista libanês Israel não ataca deliberadamente a população civil libanesa.

Fontes