Angola: Mais de 10 mil comandos búfalos desmobilizados aguardam por uma solução, diz Martinho Ngola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

29 de outubro de 2014

Cerca de 10 mil antigos comando búfalos em Angola continuam sem receber as compensações merecidas depois da sua desmobilização. A denuncia é de Martinho Ngola, comandante das Forças Armadas de Segurança Estratégica de Defesa de Angola, FASEDA dos Comandos Búfalos ACB2, e presidente do Partido da Unidade do Povo de Angola (PUPA).

Segundo Ngola, as reclamações de mais de 10 mil membros das forças especiais tiveram como resultado detenções por parte da Direcção Nacional de Investigação Criminal.

“Desde que terminou a guerra em 2002, não nos integraram, nós estamos à espera e nada”, afirmou Martinho Ngola, conhecido por Lacrau Ngola Yetu.

Ele revela que os desmobilizados já escreverem ao Presidente da República e aos seus órgãos auxiliares, mas não obtiveram qualquer resposta.

“Aqui não é como nos outros países que se pode falar com os governantes, escrevemos para os ministros e ao camarada presidente e nada”, acrescentou Martinho Ngola, que será o convidado desta sexta-feira, 31, do programa Angola Fala Só, da VOA.

Notícia Relacionada[editar]

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati