Acidente aéreo na Guiné Equatorial custa a vida de pelo menos 60 pessoas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.
LocationEquatorialGuinea.png

19 de julho de 2005

Um avião Antonov 24 da linha Air Equateur se despedaçou na manhã do sábado (16) perto da cidade de Bata, pouco tempo depois de levantar vôo de Malabo, na Guiné Equatorial. Algumas pessoas disseram que a aeronave transportava 85 pessoas. Demetrio Eló, ministro de Transportes e Telecomunicações, informou que no avião estavam não 85, mas 60 pessoas, entre as quais: 55 passageiros, três membros da tripulação e duas aeromoças. Acredita-se não haver sobreviventes.

As condições meteorólogicas eram boas, o que faz supor que uma falha mecânica foi a causa do acidente. Entre os falecidos se encontram a esposa do secretário do Parlamento de Guiné Equatorial, Ciriaco Tamarite Burgos, e a diretora de Saúde Pública, Juanita Nsang Ncara.

Alfonso Nsue, porta-voz oficial, disse que considera "materialmente impossível que um Antonov-24, um avião soviético, possa abrigar mais de 50 passageiros, além da tripulação". Políticos de oposição ao governo disseram que no avião havia excesso de gente, 85, entre passageiros e tripulação.

Segundo a Associação para a Solidariedade Democrática com Guiné Equatorial (Asodegue), a empresa Air Equateur é dirigida por Anita Mbasogo, filha do presidente de Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema.

Fontes