ACNUR afirma que novos grupos ilegais estão a se formar ao sul da Colômbia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.
Nariño.

1 de junho de 2006

Num comunicado emitido no último dia 30, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) manifestou preocupação pela possível "formação de novos grupos armados ilegais", especial no Departamento de Nariño, ao sul da Colômbia. Ademais, alertou para o incremento da violência na região e lembrou que só no sábado passado (15) foram encontrados 15 cadáveres na cidade de Policarpa.

Segundo o porta-voz da ACNUR, Ron Redmond, "há informações críveis" de outras mortes e desaparecimentos. O ACNUR está alarmado porque parece que novos grupos armados estão se formando nessa área". O órgão pediu pediu para que as pessoas adiem o seu retorno para seus locais de origem, tendo em vista a total falta de segurança.

De acordo com Redmond, os rebeldes ameaçam de morte quem pretende voltar a sua terra de origem e, em outros casos, interceptam aqueles que voltam sem documentos. Dada a preocupação, a ACNUR anunciou que enviará missões para as localidades de Sánchez e Santa Rosa.

A preocupação da organização é compartilhada por Carlos Maya, promotor público de Nariño, que disse para a Rádio Caracol que a situação humanitária em Policarpa, Cumbitara e em Bajo Patia é "grave", por causa dos enfrentamentos entre guerrilheiros e paramilitares.

Em Nariño se hallan sembradas 6 mil hectares de coca, o que evivale a metade da produção do país, segundo relatório dos EUA citado pela Caracol.

Fontes