31 atletas enfrentam banimento nas Olimpíadas de 2016 pela repressão contra doping por COI

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

19 de maio de 2016

Na terça-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI), realizou processos disciplinares contra os 31 atletas não identificados em seis esportes, todos eles competiram em Pequim (2008) e que planejaram competir novamente nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em agosto.

A principal investigação de doping por alegações de drogas nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 surgiram a partir das amostras colhidas nos Jogos de 2008 que está sendo testada novamente, o que significa que potencialmente os concorrentes de todos os doze países poderão perderem seus lugares para competição a este evento deste ano.

Havia cerca de 4.500 testes realizados durante os Jogos de Pequim com apenas seis atletas pegos no momento e mais três nos meses seguintes. Os comitês do COI testam amostras de dez anos atrás para que um novo teste possa ocorrer com técnicas científicas melhoradas. Estas mais recentes resultados de testes positivos seguem a reanálise nas 454 amostras, o que significa que os atletas estarão impedidos, poderão enfrentar desqualificação retroativa e a perda de medalhas.

Os atletas atualmente em questão não foram identificados por razões legais, mas o COI irá informar comitês olímpicos nacionais nos próximos dias.

O COI afirmou que "todos aqueles atletas que violarem as regras anti-doping serão proibidos de competir nos Jogos Olímpicos".

As amostras dos Jogos de Londres 2012 também foram testados e os resultados serão anunciados em breve. O COI também tem a intenção de testar novamente amostras nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 em Sochi por alegadas violações.

O presidente do COI, Thomas Bach, diz que "esta é um ataque poderoso contra as fraudes". Cinco atletas dos Jogos Olímpicos de Atenas (2004) foram apanhados com resultados positivos em retestes, incluindo Lançamento do Peso e Medalha de Ouro, Yuriy Bilonog da Ucrânia.

O COI diz que "quer parar muitos atletas dopados de participarem no Rio [de Janeiro], estamos mostrando mais uma vez a nossa determinação em proteger a integridade da competição olímpica."

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati