Saltar para o conteúdo

30 dias após enchente severa, RS entra novamente em alerta: algumas cidades podem ter 250mm de chuva em quatro dias

Fonte: Wikinotícias

13 de junho de 2024

Email Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Trinta dias após o repique da maior cheia que o Rio Grande do Sul já presenciou desde que há registros, o estado entra novamente em alerta com a Defesa Civil do RS e os portais de meteorologia prevendo uma nova temporada de chuvas de moderadas a intensas, principalmente na semana que vem. A chuva começa no sábado e se espalhará para todo estado no decorrer dos dias, mas as regiões das Missões, Noroeste, Centro, Vales, RMPOA, Costa Doce, Litoral Médio e Norte e Serra preocupam, já que em alguns destes locais - Centro, Vales, RMPOA, Costa Doce e Serra - justamente houve enchentes extremas no mês de maio, com as cheias dos Rios Taquari, Caí, Jacuí, Guaíba e da Lagoa dos Patos.

O mau tempo será provocado por um sistema de baixa pressão aliado a um fluxo de umidade vindo do norte e o acumulado de precipitação poderá ser, na média, de cerca de 250mm em apenas quatro dias. O encontro da baixa pressão e sua frente fria com o fluxo de umidade criará um rio atmosférico, fenômeno meteorológico conhecido por provocar chuvas que costumam ser intensas.

Acumulado de chuvas

Algumas cidades podem ter acumulados de cerca de 250mm em aplenas quatro dias, o que significa a chuva que normalmente cairia em cerca de 45 dias. Pontualmente as precipitações, neste intervalo de tempo, podem até passar de 300mm.

Dia Precipitação média (mm/24h) Precipitação máxima (mm/24h) Precipitação mínima (mm/24h)
15.06 25 30 20
16.06 55 70 40
17.06 92,5 125 60
18.06 75 90 60
Total para 4 dias 247,50mm 315mm 180mm

Enchentes

"Devido aos volumes acumulados para a fronteira oeste, região do centro, norte, noroeste e vales (...) é esperada a ocorrência de respostas hidrológicas, inicialmente com o extravasamento da calha de rios menores, arroios e córregos onde a chuva apresentar elevada intensidade, e em seguida a elevação dos rios principais" da Região Hidrográfica do Guaíba - Taquari-Antas, Caí, Alto e Baixo Jacuí e Pardo - e da Região Hidrográfica do Uruguai - Apuaê-Inhandava, Passo Fundo, Várzea, Turvo-Santa Rosa-Santo Cristo, ijuí, Piratinim, Butuí-Icamaquã e Ibicuí.

Referências[editar | editar código-fonte]

Notícias Relacionadas[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]