Ômicron: a nova variante de preocupação da OMS que pode piorar a pandemia de covid-19

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

26 de novembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A OMS classificou hoje uma nova variante do Sars-Cov-2 como "de preocupação" (VOC - Variant of Concern), a B.1.1.529, que recebeu o nome de Ômicron, seguindo a regra de nomear as novas variantes com letras do alfabeto grego.

Segundo a Organização, a Ômicron foi reportada pela primeira vez à OMS da África do Sul em 24 de novembro de 2021, mas a primeira infecção confirmada no país foi de uma amostra coletada em 9 de novembro de 2021. "Esta variante apresenta um grande número de mutações, algumas das quais preocupantes. A evidência preliminar sugere um risco aumentado de reinfecção com esta variante, em comparação com outras VOC. O número de casos desta variante parece estar aumentando em quase todas as províncias da África do Sul", enfatizou a OMS em seu comunicado.

Em vista da incerteza sobre o quanto a nova variante pode impactar a pandemia, a OMS incentivou os países a:

  • melhorar a vigilância e os esforços de sequenciamento para compreender melhor as variantes circulantes do SARS-CoV-2;
  • enviar sequências completas do genoma e metadados associados a um banco de dados disponível publicamente, como o GISAID;
  • relatar casos/grupos iniciais associados à infecção por VOC à OMS por meio do mecanismo de RSI;
  • onde houver capacidade e em coordenação com a comunidade internacional, realizar investigações de campo e avaliações laboratoriais para melhorar a compreensão dos impactos potenciais da VOC na epidemiologia da covid-19, gravidade, eficácia da saúde pública e medidas sociais, métodos de diagnóstico, respostas imunológicas, anticorpos neutralização ou outras características relevantes.
Países fecham fronteiras

Depois do anúncio da OMS, a presidente da Comissão Europeia conclamou os países da União Europeia a agirem imediatamente, cancelando todas as viagens para a África Austral e outros países afetados. Ela também conclamou a todos os europeus a se vacinarem e continuarem com as medidas de prevenção, como o uso de máscaras. Pouco depois, todos os 27 países do bloco responderam ao apelo e fecharam as fronteiras. Além disto, quem voltar dos países africanos, terá que cumprir quarentena obrigatória para monitoramento.

O Reino Unido já havia suspendido as viagens horas antes e colocado a África do Sul, Botswana, Eswatini, Lesotho, Namíbia e Zimbabwe na sua lista vermelha.

Um caso de infecção por Ômicron já foi detectado na Bélgica. Segundo a Euronews, "trata-se de uma mulher não vacinada que tinha acabado de regressar do Egito".

Notícias Relacionadas

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit