"Holocausto é um mito", insiste Presidente do Irão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.
Mapa do Irão.

14 de dezembro de 2005

O Presidente do Irão, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta quarta-feira (14) que o holocausto judeu foi um mito, reafirmando sua declaração anterior, condenada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Em frente de uma multidão de pessoas reunida na cidade de Zahedan, Ahmadinejad disse que "eles [os judeus] fabricaram uma lenda segundo a qual o 'massacre dos judeus' é tido como algo maior que o próprio Deus, que a religião e que os profetas".

Ahmadinejad também acusou os aliados de Israel de hipocrisia e repetiu a sua sugestão de mudar o Estado israelense da Palestina para a Europa, Estados Unidos da América ou Canadá.

Ainda, em tom desafiante, Ahmadinejad acrescentou que se "a civilização israelense consiste em actos de injustiça, opressão e miséria para que a maioria das pessoas do mundo lhes proporcione bem-estar", então "nós iremos gritar com toda nossas forças que odiamos sua civilização".

O presidente iraniano não cedeu nos seus ataques a Israel. Na semana anterior ele já tinha questionado a existência histórica do holocausto, e dissera que se é verdade que os europeus cometeram um massacre, então são eles que devem compensar os judeus com terra européia, e não com o território palestino.

Fontes