Zelenskyy visita os EUA para conversas com Biden

Fonte: Wikinotícias

21 de dezembro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, deve visitar os Estados Unidos na quarta-feira, com uma visita à Casa Branca e um discurso no Congresso na agenda, ao fazer sua primeira visita conhecida fora da Ucrânia desde que a Rússia lançou sua invasão do país em fevereiro.

Zelenskyy twittou na quarta-feira que estava a caminho dos Estados Unidos "para fortalecer a resiliência e as capacidades de defesa da Ucrânia".

Um alto funcionário do governo disse a repórteres que o presidente dos EUA, Joe Biden, convidou Zelenskyy para se encontrar com ele, sua equipe de segurança nacional e seu gabinete. O funcionário disse que as negociações incluiriam "uma discussão estratégica aprofundada sobre o caminho a seguir no campo de batalha", quais equipamentos e treinamento os EUA e outros aliados poderiam fornecer, bem como ajuda econômica, energética e humanitária.

“O presidente Biden terá a oportunidade de reforçar que esse apoio não é apenas sobre o que fizemos antes, mas o que faremos hoje e o que continuaremos a fazer pelo tempo que for necessário”, disse o funcionário.

Embora não se saiba que Zelenskyy tenha deixado a Ucrânia, ele fez visitas fora da capital, Kiev, incluindo uma ida na terça-feira à cidade de Bakhmut, no leste, onde suas forças se envolveram em combates pesados.

Zelenskyy pediu repetidamente aos EUA e outros que forneçam sistemas de defesa aérea que possam ajudar a Ucrânia a lidar com ataques de mísseis e drones das forças do presidente russo, Vladimir Putin, que atingiram cidades em todo o país e danificaram sua infraestrutura.

O alto funcionário do governo disse que os EUA anunciariam que um novo pacote de ajuda militar para a Ucrânia incluirá baterias de mísseis Patriot, um sistema de defesa aérea mais avançado do que o que a Ucrânia conseguiu acessar antes. O oficial disse que as forças ucranianas serão treinadas, acrescentando que o processo "levará algum tempo".

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse a repórteres na quarta-feira que novas entregas de armas à Ucrânia aprofundariam o conflito e que a Rússia não vê chance de negociações de paz com a Ucrânia.

Fontes