Zelensky ao Conselho de Segurança da ONU: é necessário parar os crimes de guerra

5 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Na terça-feira, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, dirigiu-se aos participantes da reunião do Conselho de Segurança da ONU por meio de uma ligação de vídeo. A reunião considerou a acusação da Ucrânia contra os militares russos de matar civis em Bucha, uma cidade localizada a noroeste de Kiev.

Zelensky começou seu discurso com uma breve história sobre como no dia anterior ele visitou Bucha, libertado das tropas russas.

“Não existe tal crime de guerra que os russos não teriam cometido em Bucha”, disse o presidente da Ucrânia. “Eles encontraram e mataram deliberadamente qualquer um que servisse ao nosso país; mataram mulheres ao lado de suas casas; mataram famílias inteiras, com adultos e crianças, e tentaram queimar seus corpos. Alguns foram baleados na rua, alguns foram jogados em poços para morrer em agonia. Aqueles que estavam sentados em um carro no meio da rua foram esmagados por um tanque que os atropelou. Pessoas foram decepadas, suas gargantas foram cortadas e mulheres foram estupradas e mortas na frente de crianças. E isso foi feito por [soldados] de um país que é membro do Conselho de Segurança da ONU.”

Lembre-se de que a Rússia anterior rejeitou essas acusações de Kiev, chamando-as de “provocações criminosas” e prometendo fornecer ao Conselho de Segurança “provas empíricas” de que seus militares não estavam envolvidos em atrocidades.

Volodymyr Zelenskyy exortou fortemente a comunidade mundial a ajudar a parar os "crimes de guerra" o mais rápido possível.

“Onde estão as garantias de segurança que a ONU deve fornecer? É óbvio que… a ONU simplesmente não é capaz de agir de forma eficaz”, disse o presidente ucraniano. “A acusação por crueldade deve ser inevitável. O propósito da Organização [das Nações Unidas] é manter a paz… Porém, a Carta da ONU está sendo violada neste momento, na Ucrânia, como resultado das ações da Rússia. Estamos vendo os crimes de guerra mais horríveis desde a Segunda Guerra Mundial.”

“Agora é 2022. Temos fortes evidências [dos crimes cometidos], incluindo imagens de satélite, e podemos conduzir uma investigação detalhada, dando aos jornalistas o máximo acesso [aos materiais], em máxima cooperação com instituições internacionais, com o envolvimento do Tribunal Penal Internacional, a fim de alcançar toda a verdade e responsabilidade”, disse Zelensky.

Ele novamente apelou ao Conselho de Segurança para “punir de uma vez por todas” a Rússia, que acredita que “tudo lhe é permitido”, “para demonstrar a todos os outros potenciais criminosos de guerra do mundo o que os espera.”

Fontes