Zapatero saúda "clara vitória" e promete governar com "mão dura e mão estendida"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Primeiro-ministro Zapatero.

10 de março de 2008

O líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e primeiro-ministro espanhol, José Luís Rodriguez Zapatero, comemorou neste domingo a "clara vitória" de seu partido nas eleições gerais espanholas, prometendo governar a "nova etapa" sem confronto, com "mão firme e mão estendida".

"Os espanhóis falaram com clareza e decidiram abrir uma nova etapa, uma nova etapa sem desentendimento, que exclua o confronto, que procure o acordo nos assuntos de Estado", afirmou, na sede do PSOE, sob fortes aplausos. "Governarei para aprofundar as coisas que fizemos bem e corrigindo os erros. Governarei este novo tempo com o diálogo social e político e não pouparei esforços para conseguir sempre o apoio social e político mais amplo possível", afirmou.

Fortemente aplaudido pelos milhares de simpatizantes do PSOE que compareceram à sede do partido, Zapatero só conseguiu começar a falar depois de dirigentes terem pedido aos militantes para deixar a festa para depois. Zapatero disse aos presentes já ter recebido as felicitações do líder do PP, Mariano Rajoy, a quem agradeceu e expressou "respeito".

O líder do PSOE prometeu colaborar com todas as administrações e "governar para todos, mas pensando antes nos que não têm nada. Governarei para tornar realidade as aspirações das mulheres, para que se cumpram as esperanças dos jovens, para que os mais velhos encontrem o apoio e a assistência", afirmou.

Zapatero prometeu ainda manter o compromisso da Espanha "com a Europa, com a paz, e com a cooperação ao desenvolvimento", garantindo que sua gestão será feita "com mão firme e mão estendida".

"Vou defender com energia os valores constitucionais e da convivência. Hoje, mais do que nunca, acredito na Espanha unida e diversa, que vive em liberdade e convive com tolerância", declarou.

Depois de recordar líderes socialistas mortos pelo grupo separatista basco ETA, Zapatero agradeceu a "todos os cidadãos que participaram [das eleições] e aos que deram uma vitória clara ao partido socialista".

Notícia relacionada


Fontes