Youssef é absolvido do crime de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

21 de outubro de 2014

Brasil

O doleiro Alberto Youssef, investigado na Operação Lava Jato, foi absolvido hoje (21) do crime de lavagem de dinheiro proveniente do tráfico. De acordo com a Justiça Federal no Paraná, o juiz Sérgio Moro, responsável pelo julgamento do caso, seguiu o entendimento do Ministério Público Federal e da defesa de que Youssef cedeu seu escritório para recebimento e entrega de dinheiro, sem saber que se tratava de transação de tráfico de drogas. Youssef, no entanto, continua preso por envolvimento em outros processos.

Crime.svg

Na mesma sentença, a primeira das dez ações originadas da Operação Lava Jato, Moro condenou René Luiz Pereira, Carlos Habib Chater e André de Catão de Miranda pelo crime de lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas. Segundo a Justiça Federal, US$ 124 mil foram enviados da Europa para o Brasil, com o uso de contas de um posto de gasolina em Brasília e uma empresa de fachada em Curitiba. Do Brasil, o dinheiro seguiu para a Bolívia para pagamento de fornecedores de drogas. René Pereira também foi condenado pelo crime de evasão fraudulenta de divisas para a Bolívia.

Chater foi condenado a cinco anos e seis meses de reclusão, em regime inicial fechado, Miranda, a quatro anos de reclusão, inicialmente no sistema semiaberto, e Pereira a 14 anos de reclusão, em regime inicial fechado. Cabe, no entanto, recurso contra a sentença. A Justiça Federal no Paraná informou ainda que dois acusados – Sleiman Nassim El Kobrossy e Maria de Fátima Stocker – não foram encontrados para citação e são considerados foragidos. De acordo com a Justiça, existem informações de que Maria de Fátima está presa na Europa.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati