Venezuela deve 6.000 milhões de dólares para o Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Agência VOA

29 de janeiro de 2017

Em novembro de 2016 foi divulgado que mais de 400 empresas deixaram de exportar para a Venezuela por problemas de pagamento.

A dívida que a Venezuela tem com as empresas brasileiras que exportam para aquele país, pode chegar a cerca de 6.000 milhões de dólares, segundo cálculos de especialistas da Fundação Getulio Vargas publicada no jornal O Globo.

O relatório desta instituição privada de estudos econômicos têm levado em conta os contratos assinados até janeiro do ano passado, mas alguns casos estão sendo revisados ​​pelas dificuldades dos importadores venezuelanos para cumprir os seus compromissos.

De acordo com especialistas da Fundação, estes problemas têm sido a principal causa da queda acentuada no comércio entre os dois países nos últimos anos. Venezuela era quinto importador do Brasil em 2009, mas agora caiu para 38 posição, de acordo com dados oficiais.

Os fluxos comerciais bilaterais, que atingiram picos próximos a US $ 6 bilhões em 2012, fechou em 2016 em US $ 1,6 bilhões, como resultado da redução nas exportações brasileiras.

Oliver Stuenkel, coordenador da equipe da Fundação Getulio Vargas que produziu o relatório, disse que devido a dificuldade enfrentadas pelas empresas venezuelanas para obter dólares as dívidas foram se acumulando, o que fez que muitas empresas brasileiras simplesmente deixassem de exportar para aquele país.

"As empresas brasileiras entenderam que tinham de aplicar aquela máxima do comércio que diz que é melhor não para exportar que exportar sem receber", citou Humberto Barbato, presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, um setor que tem reduzido substancialmente as exportações para a Venezuela.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati