Uma policial da Nova Zelândia trabalhava à noite como prostituta

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de julho de 2006

Em Auckland, Nova Zelândia, uma policial feminina trabalhava à noite como prostituta. Nem a polícia da cidade de Auckland, onde ela trabalhava, sabia que ela também estava, por meio período, no ramo da prostituição.

A prostituição foi legalizada na Nova Zelândia em 2003.

Segundo o que foi informado, a policial, cujo nome não foi revelado, se prostituía por causa de dificuldades financeiras. Ela agora está passando por aconselhamento.

A polícia preferiu não comentar há quanto tempo a policial era prostituta.

O comissário Lyn Provost disse que "a natureza do emprego secundário era incompatível com a atividade policial e nunca poderia ser aprovada. Pelas regras de bom senso a maior parte dos policiais simplesmente sabe que a profissão do sexo não é compatível com o papel de oficial de polícia."

A polícia disse que se um oficial de polícia desejasse um emprego secundário, então deveria pedir dispensa antes de aceitar esse tipo de serviço.

Ron Mark, porta voz do First Party Law and Order, disse que "o caso é desconcertante porque apesar de a prostituição ser legal, ela está associada com a atividade criminal."

Fontes