Um quarto dos bens históricos da China está mal conservada, constata estudo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

30 de dezembro de 2011

China — Um estudo, conduzido pelo diretor da Administração Estatal da Herança Cultural da China, Shan Jixiang, constatou que 25,67 % dos locais históricos do país apresentam má conservação. Em 17,7% dos casos, o estado de conservação dos locais é apontado como “relativamente pobre” e em 8,43 %, como “pobre”.

É o terceiro estudo sobre o assunto, elaborado pela instituição desde 1949. Para analisar o assunto, foram avaliados 766 722 bens culturais da China. Cerca de 50 mil pessoas trabalharam no projeto que custou 183 milhões de euros.

Uma das mais antigas civilizações do mundo, com 4 mil anos, a China reúne um dos patrimônios culturais mais amplos e valiosos do planeta. No entanto, quando houve a chamada Revolução Cultural da China (1966-1976), os guardas-vermelhos destruíram o que consideravam patrimônio feudal.

Nas últimas décadas, no entanto, as autoridades da China demonstraram interesse em recuperar o passado histórico do país, inclusive para fins turístico. A China é o terceiro local do mundo, em número, de bens listados como Patrimônio da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), sendo ultrapassada apenas pela Espanha, que tem 43 bens, e pela Itália com 47.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati