Saltar para o conteúdo

Ucrânia e Rússia divergem sobre queda de avião com prisioneiros ucranianos

Fonte: Wikinotícias

27 de janeiro de 2024

Email Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O chefe do serviço de inteligência militar da Ucrânia disse na sexta-feira que Kiev não tinha informações credíveis ou abrangentes sobre os passageiros a bordo do avião russo que foi abatido, transportando 65 prisioneiros de guerra ucranianos que voavam para a Ucrânia em troca de prisioneiros de guerra russos.

Kyrylo Budanov, chefe da Diretoria de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia, fez os comentários depois que o Comitê de Investigação da Rússia postou online um vídeo dos prisioneiros de guerra embarcando no avião.

O vídeo, no canal Telegram do comitê, mostra veículos se aproximando de uma aeronave Ilyushin-76 em um campo de aviação coberto de neve. Indivíduos são vistos saindo dos veículos em preparação para o embarque.

O vídeo não tem som e é acompanhado apenas por uma única linha de explicação que retrata militares ucranianos embarcando no transporte militar. Não fornece localização.

A Rádio Ucraniana NV escreveu em um comentário: “Devido à má qualidade do vídeo, é difícil entender exatamente o que está acontecendo”.

Moscou e Kiev continuam a trocar acusações sobre a queda do avião Ilyushin IL-76 na região russa de Belgorod. Todos os 74 passageiros morreram no acidente.

Na sexta-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, fez os seus primeiros comentários sobre o acidente num discurso na televisão.

“Não sei se o fizeram de propósito ou por engano, mas é óbvio que o fizeram”, disse Putin. “De qualquer forma, o que aconteceu é um crime. Seja por negligência ou propositalmente, mas de qualquer forma, é um crime.”

Putin disse que o avião não poderia ter sido derrubado por "fogo amigo" russo porque os sistemas de defesa aérea da Rússia têm salvaguardas para evitar que ataquem os seus próprios aviões.

“Existem sistemas ‘amigos ou inimigos’ lá, e não importa o quanto o operador pressione o botão, nossos sistemas de defesa aérea não funcionariam”, disse ele.

Putin afirmou que os mísseis disparados eram provavelmente norte-americanos ou franceses, e disse que isso seria estabelecido com certeza dentro de dois a três dias.

O comitê estatal de investigação da Rússia disse na sexta-feira que recuperou documentos de identidade ucranianos e partes de corpos tatuados no local da queda do avião militar russo para testes genéticos.

Afirmou que as provas recolhidas também incluíam "documentos de militares ucranianos que morreram no desastre, confirmando as suas identidades, bem como documentos de acompanhamento do Serviço Penitenciário Federal da Rússia".

A Rússia tem acesso exclusivo ao local do acidente. A Reuters não conseguiu verificar de forma independente o seu relato sobre o que aconteceu e quais provas foram recuperadas. Na quinta-feira, o comitê de investigação disse que as descobertas preliminares mostraram que o avião foi atingido por um míssil terra-ar disparado da Ucrânia.

Notícia relacionada[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]