UNITA acusa Governo de confiscar terras de combatentes da liberdade

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

Em Malanje, autoridades entregaram veículos a vários veteranos por ocasião do 4 de Fevereiro.

4 de fevereiro de 2015

Um destacado dirigente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) disse que muitos dos que participaram na luta de libertação nacional tiveram as suas terras confiscadas pelo Governo nacional.

Januário Alfredo Mussambo, secretário provincial do Galo Negro em Malanje, revelou que muitos nacionalistas angolanos que lutaram pela libertação nacional continuam esquecidos.

“Há muita gente, não só órfãos, mas também os próprios protagonistas hoje estão aí abandonados, não têm nada, não têm perspectivas de vida”, acusou.

Segundo Mussambo, "muitos deles ficaram com as suas terras espoliadas, porque inventaram-se leis em que a terra é do Estado, esse Estado que surgiu fruto da luta que os filhos dessa mesma pátria empreenderam”.

Mussambo fez estas declarações por ocasião das celebrações do 4 de Fevereiro em Malanje.

A propósito das festividades do dia do inicio da luta armada de libertação nacional, 12 viaturas ligeiras adaptadas foram entregues a antigos combatentes e veteranos da pátria, duas clínicas móveis à Direcção Provincial de Saúde e foi inaugurada a primeira fase da programação da Televisão Pública de Angola, que inicia hoje a transmitir noticiários locais de 30 minutos.

Em Kiwaba-Nzoji foi inaugurado o Hospital Municipal local, com uma capacidade para 92 pacientes, camas e a Estação de Desenvolvimento Agrário.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati