Turbantes a prova de balas para 2000 policiais

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de maio de 2009

Família sikh portando turbantes.

Os agentes da Polícia britânica pertencentes ao Sikhismo, uma religião indiana monoteísta que surgiu dentro do conflito entre as doutrinas do hinduísmo e o islamismo, haviam solitado para os agentes que transportam armas de fogo e têm de lidar com situações de fogo cruzado (tiroteio), um turbante anti-balas.

Sikhismo exige de seus seguidores, estimados em cerca de 21 milhões em todo o mundo (chamada Sikhs), especificamente aos homens usarem turbante, mas o capacete de segurança da Polícia britânica não permite portar ambas as coisas durante o horário de trabalho.

O inspetor de Polícia Gian Singh Chahal, Vice-Presidente da Associação Britânica da Polícia Sikh, fez um apelo ao Governo e ao Ministério do Interior para tentar reconhecer o turbante aos agentes Sikhs que isto podem ser compatível com uso de armas de fogo, o que se repercutiu na edição digital do The Guardian.

"Os agentes de Polícia da nossa religião não pode portá-las já que levam o turbante", disse Chahal, que acrescentou que "existem estudos para a fabricação de um material balístico que repele o impacto de balas em tecidos sintéticos como o nosso turbante".

“Criar turbantes anti-balas daria aos nossos agentes uma proteção que faz falta hoje”, conclui Chahal.

Existem atualmente 2.000 agentes britânicos que pertencem a esta religião, que proíbe, entre outras coisas, o uso de capacetes para motos aos seguidores desde 1976.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati