Tufão Surigae deixa Filipinas em alerta; é o primeiro tufão do Pacífico em 2021

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

18 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
O Surigae em 17 de abril, quando alcançou a categoria 5

A temporada de tufões no Pacífico de 2021 começou cedo este ano e o tufão Surigae, chamado de Bising nas Filipinas, está deixando o leste deste país sob alerta de tempo severo entre hoje e a próxima quarta-feira. Segundo o Pagasa, órgão oficial de meteorologia filipino, há riscos de chuva forte, com possibilidade de inundações, para o leste de Visayas, região de Bicol e norte de Samar.

O aviso também é para ventos fortes (120km/h), que deixarão o mar agitado ao longo do litoral de Catanduanes, Samar Norte, Samar Leste e Samar. "As viagens marítimas são arriscadas para todos os tipos de embarcações sobre essas águas", escreveu o Pagasa no boletim emitido às 17h de hoje no horário local. Um alerta de ventos mais moderados (60km/h) também está vigente para Luzon, Visayas e Mindanao, reporta a CNN Filipinas.

Não é esperado, no entanto, que o Surigae toque terra no país ou mesmo se aproxime muito, mas conforme alerta o Pagasa, existe "incerteza na previsão da trajetória do tufão" e "a possibilidade de um cenário de aproximação não está descartada".

O tufão, que ontem estava classificado como categoria 5, diminuiu de intensidade nas últimas 12 horas e agora está classificado como sendo de categoria 2, reporta a CNN.

Super Tufão Surigae estabelece recorde ao passar perto das Filipinas

Segundo registos oficiais, o super tufão Surigae tornou-se o primeiro ciclone tropical do hemisfério Norte a atingir uma pressão inferior a 900 millibares antes de 1 de maio. Este monstruoso sistema chegou a alcançar Categoria 5 ontem.

Como costuma acontecer nestes casos, há uma certa dança de números nas várias estimativas da força do vento. De acordo com o último alerta do Joint Typhoon Warning Center (JTWC), o vento médio sustentado de um minuto chega a 278 km/h, com rajadas de 333 km/h. A Agência Meteorológica do Japão (JMA) estima uma pressão central de 900 hPa. Com estes dados, são batidos os recordes de baixa pressão e vento numa época do ano tão precoce, sendo também o tufão mais forte do mês de abril desde que a Era do Satélite começou, mas os registos não param por aí.

Esta pressão extremamente baixa, em combinação com os ventos extraordinariamente fortes de 250 a 305 km/h do super tufão, coloca este sistema não só no topo dos recordes dos tufões em abril, mas também perto do topo dos livros de recordes para qualquer época do ano. A única comparação possível pode ser encontrada na bacia do Atlântico, quando decorria o ano de 2005 e o furacão Wilma chegou a apresentar uma pressão de 882 hPa.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit