Tribunal de Luanda continua a ouvir implicados no caso Cassule e Kamulingue

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

Comissário da Polícia ouvido hoje.

3 de dezembro de 2014

O Tribunal Provincial de Luanda começou a ouvir hoje, 3, o Comissário Dias do Nascimento, que, na altura do assassinato de Isaías Cassule e Alves Kamulingue, ocupava o posto de Comandante Provincial interino do Comando Provincial da Polícia Nacional.

Amanhã, dever ser ouvido Amaro Neto Director, provincial da Investigação Criminal.

Os autores materiais já confessam os crimes em tribunal. Nesta altura continuam os interrogatórios com objectivo de obtenção de mais provas que levem aos autores morais dos crimes.

O julgamento, que começou há cerca de um ano, registou uma paragem pelo facto de o Presidente angolano José Eduardo dos Santos, enquanto Comandante-em-Chefe, ter promovido a general António Manuel Gamboa Vieira Lopes, o oficial dos serviços secretos que consta entre os acusados de assassinar Isaías Cassule e Alves Kamulingue.

Santos anulou a promoção e criou na altura uma comissão de inquérito para averiguar como o acusado chegou a ser promovido enquanto réu. Passados 60 dias, nem a comissão de inquérito, nem os serviços de apoio ao Presidente se pronunciaram sobre as investigações.

Agora, José Eduardo dos Santos promoveu a cargo de comandante provincial do Moxico Dias do Nascimento, que comandava interinamente as forças aquando do assassinato de Isaías Cassule e Alves Kamolingue.

Segundo Zola Ferreira, advogado das famílias das vítimas, após os réus terem confessado os crimes em tribunal nesta altura tudo se faz para encontrar os mandantes do assassinato dos activistas.

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati