Tráfico humano aumenta através da fronteira moçambicana de Ressano Garcia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

A África do Sul é considerada fonte e ao mesmo tempo destino de pessoas traficadas.

9 de dezembro de 2014

A polícia sul-africana diz que estão a aumentar os casos de tráfico de pessoas para a África do Sul, através de Moçambique, na região baixa da província de Mpumalanga que faz fronteira com o território moçambicano.

Segundo a polícia, dois suspeitos de origem asiática foram detidos no ultimo fim de semana numa operação policial na qual foram resgatados 30 cidadãos do Paquistão e do Bangladesh, traficados para África do Sul, a partir do vizinho Moçambique.

Os dois detidos, suspeitos de serem membros de um sindicato de traficantes de pessoas, compareceram nesta segunda-feira, 8, ao Tribunal de Tonga, mas depois foram libertados sob fiança, tendo o caso sido adiado para 8 de Janeiro.

A África do Sul é considerada fonte e ao mesmo tempo destino de pessoas traficadas, sobretudo mulheres e crianças que são basicamente exploradas na indústria de sexo e trabalho forçado.

Moçambique é tido como porta de entrada mais fácil para traficantes de seres humanos com destino à África do Sul.

Os paquistaneses e bengalis resgatados pela policia sul-africana terão conseguido vistos de turismo para Moçambique em representações diplomáticas ou consulares moçambicanas na Ásia.

Mas na África do Sul, a legislação sobre o tráfico de pessoas é muito dura. Este tipo de crime é punido com prisão perpétua ou cerca de 10 milhões de dólares americanos.

Com a previsão de grande movimento de pessoas e bens entre os dois países por causa da quadra festiva, as autoridades sul-africanas e moçambicanas reúnem-se amanhã para planificação das ações conjuntas.

O posto fronteiriço de Lebombo/Ressano Garcia, o mais movimentado entre os dois países, vai funcionar 24 horas por dia a partir desta quarta-feira até 18 de Janeiro e na estrada haverá tolerância zero para automobilistas oportunistas, segundo afirma o Director Regional Sul dos serviços aduaneiros de Moçambique, Casimiro Mabota.

Segundo Mabota, “as Alfândegas preparam-se para o reforço da equipa dos funcionários que trabalham na fronteira de Ressano Garcia para o controlo em conjunto com outras forcas, a PRM (Policia da Republica de Moçambique) Migração e Guarda Fronteiras, do movimento de pessoas e bens e garantir a passagem tranquila de todos aqueles que demandam os serviços da fronteira por ocasião da quadra festiva”.

Espera-se que mais de 100 mil pessoas passem pela fronteira de Lebombo/Ressano Garcia nesta quadra festiva.

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati