Termina hoje campanha de vacinação contra sarampo e pólio em todo o país

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

28 de novembro de 2014

Brasil

A campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomielite termina hoje (28) em todo o país. O objetivo é imunizar 12,7 milhões de crianças contra a pólio e 10,6 milhões contra o sarampo. No caso da pólio, devem tomar a vacina crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos. O objetivo é manter a erradicação da doença no Brasil. O país não registra casos de pólio desde 1990. O Ministério da Saúde disponibilizou mais de 17,8 milhões de doses e a meta é vacinar ao menos 95% do público-alvo – cerca de 12 milhões de crianças.

A recomendação é que todas as crianças na faixa etária estabelecida sejam imunizadas contra a pólio, já que a dose oral vale tanto para colocar em dia a vacinação atrasada quanto para reforço de quem está com o calendário em dia. Já a vacinação contra o sarampo é feita em crianças entre 1 ano e 5 anos incompletos. Cerca de 10 milhões de crianças devem ser vacinadas com a tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. Ao todo, foram distribuídas mais de 11,8 milhões de doses da vacina.

Para crianças com alergia ao leite de vaca, a vacinação contra o sarampo será feita posteriormente. O ministério orientou as secretarias estaduais e municipais de saúde que evitem imunizar essas crianças com a vacina fornecida pelo laboratório Serum Institutte of India Ltd, devido à presença do componente lactoalbumina hidrolisada nas doses.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave e a única forma de prevenção é por meio da vacina. Na maioria dos casos, a criança não morre quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

Já o sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por meio de secreções expelidas ao tossir, falar ou respirar. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de 1 ano. A única forma de prevenção também é por meio da vacina.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati